D. António Barroso

Boletins

 

 

D. António Barroso

 

Para todos os Amigos de D. António Barroso e com a devida autorização do Dr. Amadeu Gomes Araújo, Vice-Postulador para a causa de Beatificação deste "Grande Bispo Missionário", foi criado este cantinho de visitas, onde poderão consultar o que dele se diz e ao mesmo tempo rever o passado.

Link ao Site Domantoniobarroso.pt

 


 

Boletim n.º 20


Acaba de ser publicado o Boletim n.º XX, que informa que a Santa Sé declara D. António Barroso "VENERÁVEL".

 

 


 

 

 

 

NOTA - Podem ler todas estas mensagens em Scribd.com, onde se encontra publicado, como habitualmente.

 

 

 

Boletim n.º 20 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 19 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 18 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 17 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 16 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 15 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 14 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 13 -  Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 12 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 11 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 10 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 09 - Leiam-no em Scribd.com

Boletim n.º 08 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 07 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 06 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 05 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 04 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 03 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 02 - Leiam-no em Scribd.com
Boletim n.º 01 - Leiam-no em Scribd.com

 


 

Amigos de D. António

7 de Novembro de 2015

Pelas 15.00 horas de 7 de Novembro de 2015 realizou-se, no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos, uma homenagem a D. António Barroso, comemorando o seu 161.º aniversário de nascimento, sendo presidida pelo Senhor Bispo do Porto, D. António Francisco. O  Orador foi o Armista, Prof. Doutor Manuel da Silva Costa, Catedrático Jubilado da Universidade do Minho, que abordou o tema "D. António Barroso e a Questão Social na Diocese do Porto de 1900 a 1918.

A abrilhantar este evento o Conservatório de Música de Barcelos apresentou alguns temas musicais.



8  de Novembro de 2014

Realizou-se no dia 8 de Novembro, para recordar o 160.º aniversário do seu nascimento, uma homenagem a D. António Barroso, que foi insigne Bispo do Porto. Missionário em três continentes, foi também uma figura emblemática da Igreja portuguesa nos anos difíceis da Primeira República.

A sessão que decorreu no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos (Largo José Novais, 47 a 58), presidida pelo Senhor D. Abílio Ribas, que foi Missionário em Angola e Bispo de S. Tomé e Príncipe, e foi orador o distinto Prof. Doutor João Marques, da Universidade do Porto, que dissertou sobre «A política colonial e a evangelização da África Portuguesa nos finais do séc. XIX: D. António Barroso e o Comissário António Enes».

Esteve também presente, abrilhantando a sessão, o prestigiado Coro de Câmara de Barcelos. A cerimónia encerrou pelas 17.30 horas, com deposição de flores, por familiares de D. António Barroso, junto à estátua, na Praça do Município.


9 de Novembro de 2013
Em Barcelos os Amigos de D. António Barroso prestaram-lhe homenagem por ocasião do

159.º Aniversário do seu nascimento.

 


 

1 de Setembro de 2013

Os Amigos de D. António Barroso levaram a cabo diversas iniciativas sobre D. António Barroso, referentes às quais o armista José Campinho fez uma excelente reportagem, como podem ver:

 

Amigos de D. António em acção

Por J. Campinho

 

Com a presença de D. Januário Torgal Ferreira, Bispo das Forças Armadas e da Segurança, o Grupo dos Amigos de D. António Barroso promoveu, no passado dia 10 de Novembro, em Barcelos, mais uma sessão de homenagem a D. António Barroso, a pretexto do 158.º aniversário do seu nascimento.Sob a coordenação de Manuel Vilas Boas, jornalista da TSF, no auditório da Câmara Municipal, entidade que, desde 2004, tem dado apoio e colaboração ao Grupo de Amigos de D. António Barroso, o P.e António Júlio Limpo Trigueiros, sj, viajou pelos cinco séculos da história de Remelhe, que resultou da união das duas paróquias de Santa Marinha de Remelhe e de Santiago de Moldes, para traçar o perfil biográfico dos vinte e oito membros do clero aí nascidos, identificando os locais onde nasceram e viveram e ligando-os às respectivas famílias de origem.

Entre as figuras religiosas naturais de Remelhe está Frei Francisco de Santiago, sobre o qual também dissertou Frei António de Sousa Araújo, ofm, esclarecendo aspectos importantes da vida e obra deste remelhense que foi cronista e mestre de franciscanos.O Coro Gregoriano do Porto, que iniciou a sua actuação entoando o hino de Vésperas do dia de Pentecostes - Veni, creator Spiritus, encerrou o primeiro momento desta sessão de homenagem ao mais ilustre dos eclesiásticos e religiosos nascidos em Remelhe, D. António Barroso, que fez «esta paróquia entrar na história nacional».

A apresentação do livro «D. António Barroso, Memórias de um Bispo Missionário», que, editado pela Fundação Portucalense, reúne uma série de estudos feitos por vários autores sobre o insigne bispo missionário e que neste mesmo local foram sendo expostos desde 2007 até ao presente, coube à Dr.ª Armandina Saleiro, vereadora da Câmara Municipal de Barcelos, que, a propósito, relevou o perfil do bispo que deve ser um exemplo de perseverança, sobretudo nos dias de hoje, em que é preciso transformar as adversidades em oportunidades, disse.A intervenção final pertenceu a D. Januário Torgal Ferreira. O Bispo das Forças Armadas, evocando o espírito solidário e humanista e D. António Barroso, «que tocou temas que ainda hoje estão em discussão», disparou em todas direcções. Classificou a situação do país como uma «tragédia» que evoca os tempos conturbados da 1.ª República, por quem ele foi perseguido e por isso perguntou «se não estaremos a voltar às estruturas de interrogação e de angústia do início do último século».  Lembrando que «Somos todos filhos de Nossa Senhora, mas em Portugal há filhos que são tratados como filhos de segunda», afirmou que «se a Igreja, à semelhança de D. António Barroso, não for o porta-voz dos pobres e dos humildes, então deixem o monopólio para outros sectores»; E recordou que D. António Barroso, se foi perseguido e julgado pelo regime republicano, só o foi porque, enquanto «homem da Igreja», teve grandes preocupações sociais, com uma «sensibilidade ao mundo do trabalho que hoje falta em Portugal», e porque, «já na sua circunstância», foi político. De facto, «o ter sido político foi o seu grande problema». «Quando defendeu a política no sentido nobilíssimo do termo: da liberdade, da honra, da nobreza, dos valores, da cidadania, da saúde, do justo salário, da legalidade social»…Esta sessão de homenagem terminou com a deposição de uma coroa de flores junto da estátua de D. António erigida na Praça do Município e o juiz jubilado, Dr. Manuel Monteiro, a falar do modo como o bispo missionário viveu a pobreza – a dele e a dos outros.


Sobre esta vejam a reportagem fotográfica publicada por  José Campinho no Youtube.

 

 

FAZ-SE HISTÓRIA

Desde 2004 - ano em que celebrámos os 150 do nascimento de D. António Barroso - temos vindo a promover encontros anuais sobre a vida e a obra do insigne bispo missionário. Têm-se realizado no auditório da Câmara Municipal de Barcelos, entidade que tem dado apoio e colaboração ao Grupo dos Amigos de D. António Barroso.

Para oradores têm sido convidados figuras várias ligadas ao ensino superior e não só. Em 2007 publicámos um pequeno volume, com as conferências feitas entre 2004 e 2007, e estamos agora a preparar o 2º volume, com as conferências desde 2007 até ao presente. O livro a editar pela Fundação Voz Portucalense, conta com uma introdução de D. Manuel Clemente e contém textos de: D. Augusto César, Padre Manuel Castro Afonso, Padre Manuel Vilas Boas, Padre António Júlio Limpo Trigueiros, Joaquim Candeias da Silva, José Campinho, Isidro Gomes de Araújo, Miguel Nunes Ramalho, Amadeu Gomes de Araújo e Padre Adílio Barbosa Macedo. Será apresentado pela Dr.ª. Armandina Saleiro, vereadora para a Educação e Cultura, da Câmara Municipal de Barcelos.

a) A.G. A.

 

 

D. ANTÓNIO BARROSO E O SANTUÁRIO DA FRANQUEIRA


D. António Barroso, nascido no ano da proclamação do dogma da Imaculada Conceição, foi sempre muito devoto de N.ª Senhora, a quem, desde criança se acostumou a orar, sob a designação de N.ª Sr.ª da Boa Ventura ou da Boa Fortuna, cuja imagem se venera na capela de São Tiago, ao lado da casa onde nasceu, e «a cujo altar, amiúde, sendo menino, levava as mais louçãs flores do horto familiar», como recorda A. Cunha, seu biógrafo.

A devoção mariana ocupou sempre lugar de relevo na espiritualidade do bispo missionário, e o seu nome anda associado às peregrinações à Senhora da Franqueira, cuja ermida, junto ao Castelo de Faria, próximo de Barcelos, foi mandada construir, de acordo com a tradição, por D. Egas Moniz, em cumprimento de um voto.

Nossa Senhora da Franqueira

Em 27 de Setembro de 1908, o Círculo Católico de Operários de Barcelos lançou o movimento das Peregrinações anuais ao Santuário da Franqueira. A primeira grande peregrinação foi presidida pelo«bispo santo», D. António Barroso, que passou a ser um peregrino assíduo. Mais tarde, quando não dispunha já de força física para aguentar a caminhada, chegou a fazer a peregrinação anual num carro de bois, refere o Diário do Minho de 22.04.2005.

Para assinalar esta sua devoção mariana, o I Congresso Missionário Português encerrou, em 06.09.1931, com uma peregrinação à Senhora da Franqueira.

a) Amadeu G. Araújo

 

 

 

2012 - Barcelos / Remelhe

Foi no dia 14 de Julho de 2012 que os Amigos de D. António Barroso se juntaram, desta vez, em Remelhe, sua terra natal, para o homenagearem. http://arm-smbn.blogspot.pt/p/encontros-regionais.html.

Deste evento fica a Reportagem de José Campinho.

 

 

2011 - Barcelos
Miguel Ramalho dissertando
No passado dia 5 de Novembro de 2011, realizou-se no Anfiteatro da Câmara Municipal de Barcelos , mais um encontro-homenagem a D. António Barroso.

O orador convidado deste ano foi o Armista Miguel Ramalho, historiador e investigador, que dissertou sobre a vida e obra deste grande Missionário.

 

 

 

 

 

 

Alguns instantâneos:

 

 

 

 

Voltar ao Topo

P1
(Continua na pá g. 2)
Fundador:  Pe. António F. CardosoDesign: Filipa Craveiro | Alberto CraveiroImpressão:  Escola Tipográfica das Missões - Cucujães - tel. 256 899 340  Depósito legal n.º 92978/95  Tiragem 2.000 exs.  Registo ICS n.º 116.839
Director: Amadeu Gomes  de Araújo, Vice-PostuladorPropriedade:  Associaçã o "Grupo dos Amigos de D. António Barroso".  NIPC 508 401 852Administração e Redacção: Rua Luís de Camões, n.º 632, Arneiro | 2775-518 Carcavelos Tlm.: 934 2 85 048 – E-ma il: vicepos tulador.antonioba rroso@gmail. comPublicação trimestral | Assinatura anual: 5,00
Boletim de
D. António Barroso
III Série  Ano VI  N.º 17  Abril Setembro de 2016
ASSOCIAÇÃO DOS AMIGOSDE D. ANTÓNIO BARROSO
Assembleia Geral
CONVOCATÓRIA
Nos termos do art.º18º dos es-tatutos da Associação, convocoos sócios para se reunirem emAssembleia Geral, no dia 17 deSetembro, pelas 15 horas, nasede, no Porto (Casa Diocesanade Vilar, à R ua do Arcediago VanZeller, n.º 50), para discutirem edeliberarem sobre a  seguinteORDEM DE TRABALHOS:
1 – Informações;2 –  Centenário: projectos e  comissões;3 – Apreciação e votação de contas;4 – Outros assuntos de interesse para  aAssociação.
Informamos que, se à hora mar-cada não houver
quorum
, a As-sembleia funcionará, decorridameia hora, com qualquer núme-ro de membros.O Presidente daMesa da Ass embleia Geral,
Professor Doutor Manuel da Silva Costa
NOVAS  OPORTUNIDADESPARA A TERRA DED. ANTÓNIO BARROSO
O turismo é incontestavel-mente um vetor de crescimen-to e de desenvolvimento local,podendo tornar-se uma alavancapara o incremento de áreas me-nos privilegiadas, potenciando osrecursos existentes, sejam de ín-dole natural  ou cultural.
A partir dos nais do século
XIX e princípios do século se-guinte, a história de Remelhe está
indissociavelmente ligada à gura
de D. António Barroso: o nas-cimento, o exílio e a deposiçãodos restos mortais nesta fregue-sia, tornaram-na mais conhecida,consagrando-a como a terra doGrande Missionário e Bispo doPorto. Aqui existe património
edicado, capaz de constituir um
atrativo turístico, associado aoBispo Barroso, que compreendea
casa onde nasceu, a casaque mandou construir
eonde se instalou durante um dosperíodos de exílio, o
jazigo
, emforma de pirâmide, que mandouconstruir em 1899 para os seuspais, em pedra ançã, com cerca de6 metros de altura (Nota1), um
monumento erguido paraa comemoração do cente-nário de nascimento,
com omapa-múndi, o busto de AntónioBarroso e o padrão das desco-bertas (Fig. 1), e a
capela-jazi-go
, construída em 1927, com umalpendre com colunas em granito,quatro vitrais que retratam perí-odos da vida de António Barro-so,  teto em caixotões de madeiracom as armas episcopais ladeadas
pelos escudos reais e pelas c ruzes
Por
Maria Isabel Lobarinhas Lim- po Trigueiros *
 
 

JavaScript is disabled!
To display this content, you need a JavaScript capable browser.

 
 
 
 
Share